CEPESE CEPESE | CENTRO DE ESTUDOS DA POPULAÇÃO, ECONOMIA E SOCIEDADE


Apresentação

O CEPESE acolherá, entre os dias 17 e 20 de setembro de 2019, na Fundação Manuel António da Mota, no Porto, o Seminário Internacional Entre a Europa do Sul e a América do Sul – Migrações, Memória e Turismo de Raízes. Realidade transversal a todo o continente europeu, e em especial à Europa do Sul, o fenómeno migratório marca uma herança comum com reflexos na sociedade contemporânea, quer ao nível social, quer económico e cultural. Se é inegável a influência que os emigrantes europeus exerceram no desenvolvimento e na transformação dos países latino-americanos em cujas sociedades se integraram, com maior ou menor facilidade, não é menos verdade que, para a modernização da Europa do Sul, foi fundamental o contributo das remessas e dos investimentos realizados por aqueles que haviam partido na esperança de retornar. Nessa perspetiva, a problemática da e/imigração continua a impor-se como uma profícua área de investigação, tendo em vista não só a abordagem de questões novas e emergentes, mas também a revisitação de temas que, embora já estudados, devem ser vistos à luz de abordagens inéditas e metodologias inovadoras, cruzando análises sincrónicas e diacrónicas.

Entre os temas mais prementes, diretamente relacionados com esta problemática, avulta o designado Turismo de Raízes ou da Diáspora. Caracterizado pela deslocação de emigrantes e/ou seus descendentes à procura das suas raízes, das memórias próprias ou formadas pelos relatos de familiares e amigos, trata-se de um Turismo assente no imaginário de um território sonhado e vivido ao longo do tempo. O Turismo de Raízes proporciona, assim, uma importante rede de circulação de objetos, símbolos e ideias, que faz com que o visitante entre em contacto com o produto turístico e obtenha uma experiência autêntica. Constituindo uma dimensão de extraordinária e crescente relevância e atualidade no panorama global do Turismo, urge aprofundar o seu estudo e compreensão, nas suas múltiplas facetas.

Outras questões merecem uma análise mais exaustiva e pormenorizada. No atual quadro de convulsões políticas que vêm sucedendo nos dois lados do Atlântico, pautado pelo recrudescer de nacionalismos e populismos, importa refletir sobre a evolução do quadro legislativo e normativo da emigração ao longo dos últimos dois séculos, mas também sobre os mecanismos de acolhimento, mobilidade e representatividade social do imigrante, a forma como o processo de integração se relaciona com a identidade individual e coletiva, a perceção que imigrantes e nacionais têm desta realidade, e como todas estas questões evoluíram no tempo, de forma a colher no passado lições para o presente e perspetivar o futuro.

Importa, finalmente, analisar casos de sucesso de empreendedorismo emigrante, no passado e no presente, em ordem a estabelecer eventuais modelos que estejam por detrás do êxito empreendedor e perceber se e como é que a condição de “emigrante” se refletiu no percurso dos “bem-sucedidos”.